Colaboradores

SACRIFÍCIOS DE LOUVOR

Hebreus 13:15

O que Deus nos pede para fazermos nestes dois versos, que acabamos de ler? O que significa
sacrifícios de louvor? Que benefícios podem nos trazer, quando fazemos o bem e ajudamos uns aos outros?

O verso que nós lemos, fala sobre confessarmos o Nome do SENHOR e esse confessar é o fruto dos nossos lábios, devido ao sacrifício constante de louvor, que oferecemos constantemente a Deus. Quem confessa o Nome do SENHOR, assim o faz, porque dentro de si possui uma crença e ela vem do coração.

Paulo diz: Se você confessar com a sua boca que Jesus é Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dentre os mortos, será salvo. (Rm.10:9 NVI) As palavras de Paulo nos ensinam que a nossa boca confessa que Jesus é SENHOR, ou seja, o Dono de nossas vidas e que a Ele devemos prestar obediência e exaltação, mas isso só pode ocorrer, se o nosso coração teme a Deus e submete ao Seu senhorio ou governo.

1. ENSINE o seu coração a TEMER a Deus.

1.a. Como pastor e pregador do Evangelho de Cristo, a minha preocupação é cultivar corações tementes a Deus.

A minha preocupação, como pastor desta igreja, é ensiná-los a acreditar em missões, evangelismo, na disciplina e educação cristã, na convivência saudável entre irmãos, nas nossas áreas e ministérios, a serem firmes e fortes na sã doutrina que provém da Verdade das Sagradas Escrituras.

Entretanto, estas coisas não representam a nossa maior prioridade. A primazia está em cultivar
um coração temente ou respeitoso a Deus. O sábio disse: O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é entendimento. (Pv.9:10 NVI) O que este verso está dizendo?

Ele diz que a base de toda a sabedoria é a obediência a Deus e que quem O respeita, o Santo SENHOR, tem a verdadeira compreensão da vida.

1.b. Um coração temente deve ser a nossa prioridade número um.

Se nós não tivermos um sentimento de admiração pela glória de Deus e pela sua manifestação, sabemos que todo o trabalho ou serviço dentro ou fora da igreja será um cansaço para a carne. Mas, aquele que não teme a Deus e não se surpreende pela Sua graça, o que lhe acontece?

• Sua mente não será tomada pela verdade.
• Seu senso de certo será errado não será avaliado segundo a Verdade de Deus.
• Sua fé não descansa no poder de Deus.
• Sua imaginação não será guiada pela pureza e beleza de Deus.
• Sua vida não será estabilizada pela soberania de Deus.
• Sua esperança não será preenchida com a “glória de Deus”.
• Seu trabalho profissional ou em casa se tornará um hábito enfadonho.
• Sua vida na igreja e fora dela, será como as “obras da lei do Velho Testamento” – viver
sob regras e rotinas incessantes.

A prioridade número um de um cristão verdadeiro, deve ser o cultivo de um coração temente a Deus. Alguém poderia me dizer: “O que tem a ver o cultivo de um coração temente a Deus, com oferecer sacrifícios de louvor a Deus, que é fruto de lábios que confessam o Seu Nome?”

Portanto, nossas primeiras ações devem ser:
• Que eu cultive um coração temente a Deus.
• Que um coração temente a Deus é a minha prioridade número um.

SACRIFÍCIOS DE LOUVOR

2. ENTENDA que o louvor dos seus lábios é FRUTO DE UM CORAÇÃO TEMENTE.

2.a. Que eu observe com muito zelo, o estado do meu coração.

O termo “fruto” dos lábios exige a prioridade do coração. Jesus disse:  O homem bom tira coisas boas do bom tesouro que está em seu coração, e o homem mau tira coisas más do mal que está em seu coração, porque a sua boca fala do que está cheio o coração. (Lc.6:45 NVI) O verbo “tirar”, no grego, significa “produzir” e para isso acontecer, alguma matéria prima é necessária; portanto, a boca fala da matéria que sobeja no coração.

Se o íntimo de uma pessoa estiver cheio de malícias, sensualidade, imoralidades e incredulidade, tudo isso se reproduzirá em palavras e depois, em ações insensatas. Acerca do insensato ou sem juízo, o salmista diz:  Diz o tolo em seu coração: "Deus não existe".
Corromperam-se e cometeram atos detestáveis; não há ninguém que faça o bem. (Sl.14:1 NVI)

2.b. Que eu tenha sempre o desejo de ter comunhão com Deus, para aprender os Seus caminhos.

Então, o salmista prossegue falando, sobre o que Deus procura e não encontra:  2 O Senhor olha dos céus para os filhos dos homens, para ver se há alguém que tenha entendimento, alguém que busque a Deus. 3 Todos se desviaram, igualmente se corromperam; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer. (Sl.14:2,3 NVI) Os nossos dias não estão tão diferentes dos do salmista, não é verdade?

Mas, o que estes versos querem dizer? Que lá do Céu, o Senhor olha para a humanidade, procurando alguém que compreenda Seus planos, procurando alguém que deseje comunhão com o Criador. Mas, de que adianta? A humanidade inteira se desviou do caminho certo e se
perdeu. Todos os homens foram estragados pelo pecado. Não há um homem sequer que procure fazer o bem; não há nem um homem bom por natureza!

Eu disse ainda há pouco, que o senso de certo e errado não pode ser avaliado sem a Verdade de Deus. Jesus disse aos religiosos:  Este povo Me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de Mim. (Mt.15:8 NVI) As palavras dos religiosos eram o fruto da falsidade ou do trabalho religioso, que abundava ou sobejava em seus corações e suas ações eram más!

2.c. Que eu esteja enraizado em Cristo, pois só ele é o meu alimento!

Deve ser muito cansativo louvar a Deus com o coração cheio de maldades, mágoas, ódio, lascívia, imoralidade e materialismo. Louvar a Deus assim é apenas um “trabalho” dos lábios e não o “fruto” deles. Quando Jesus usa a palavra “fruto”, a idéia é que a fruta cresce naturalmente, pelo fato de se alimentar da seiva que a ela chega. A fruta está ligada ao galho, ele, ao tronco, este enraizado na terra. Todo alimento “vem de dentro” e pelo interior do tronco e galhos, a seiva chega à fruta, que dela se alimenta e cresce.

Uma árvore se sacrifica em seu interior, a fim de levar o alimento para a produção dos seus frutos. Ela não irá aceitar um refrigerante ou um suco como ajuda extra, mas buscará lá no interior da terra o seu alimento, por meio de suas raízes, pois “essa é a sua natureza”. Uma das razões de muitos cristãos viverem uma vida tão fraca, infeliz e ineficaz, é porque eles desobedecem a essa exortação de Hebreus 13:15.

Pela razão de muitos cristãos não estarem enraizados em Cristo, o fluxo da vida espiritual é impedido de passar e tudo o que fazem, tanto na Igreja como fora dela, é só trabalho, enfado e canseira. Eles não entendem a diferença entre trabalho da alma e sacrifícios espirituais de louvor a Deus. Você deve entender algo importante: Uma vida que promove louvor a Deus, envolve “palavras e ações” corretas.

2.d. Que eu entenda a diferença entre trabalhar religiosamente e sacrifícios de louvor para Deus.

Trabalho é quando você faz algo só pensando em si mesmo, de modo egoísta, pensa só em si e não nos outros. É uma vida cheia de afazeres, mas sem um sentido espiritual e missão cristã. Só visa recompensas.

Sacrifícios de louvor têm a ver com a atitude de servir, entender a razão Divina de você estar onde está, fazer o que faz e agir para que Deus manifeste a Sua glória!

Nós temos a idéia de que as coisas que fazemos dentro da igreja são espirituais e o que fazemos fora dela, não tem nenhum caráter espiritual. Isso é uma crença errada! Saiba que não importa o lugar ou situação que estejamos, pois lá estamos pela vontade de Deus e com a finalidade de executarmos a nossa missão cristã, ou seja, promovermos a glória de Deus.

Exemplos:
O pastor que não se prepara espiritualmente e biblicamente, que não ouve a Deus e prepara sua pregação buscando desesperadamente textos bíblicos, que atendam às necessidades emocionais e não para que o povo respeite a Deus e viva corretamente diante Dele, é egoísta. Ele não se sacrifica, orando e estudando as Escrituras Sagradas e quando vai falar, fala algo que não vem de dentro do Espírito Santo e da Palavra, mas apenas da sua mente, da emoção, da retórica e por interesses escusos.

Ele não se sente como “escravo” de Deus, da Palavra e da Igreja. Portanto, ele é egoísta, pensa só em si e não nos outros. Isso é trabalho e não um sacrifício de louvor que agrada a Deus.
Os cristãos que executam funções ministeriais na igreja, não deveriam fazê-las num espírito de rotina, mas em todo o conteúdo que envolve a sua missão cristã. No entanto, eles apenas fazem as coisas que aprenderam fazer e que devem ser feitas, mas sem um coração cultivado a amar e a temer a Deus, sem a preocupação de edificar pessoas, só pensam em si mesmos e não nos outros. Isso é trabalho e não um sacrifício que exalta a Deus.

O marido cristão, que apenas vive com sua esposa e a trata como um objeto, não vive a vida do lar e não medita sobre o melhor que poderia oferecer a ela, proveniente do seu caráter espiritual, emocional e pessoal, transformado por Cristo. Ele nunca pensa na sua missão cristã de ser o sacerdote da casa. Ele apenas vive ou vegeta ao lado da esposa, sem diálogos edificantes e propósitos espirituais elevados. Esse homem é egoísta e não pensa no outro. Isso é trabalho e não um sacrifício de louvor que agrada a Deus.

A esposa cristã, que se acha independente e não respeita a posição que Deus deu ao seu esposo, como protetor e guardião espiritual, que o engana, comprando coisas escondido dele, tirando dinheiro da sua conta ou da sua carteira sem comunicá-lo, que o oprime, tentando moldá-lo ao seu perfil, que o repreende constantemente em público, é egoísta e não pensa no outro. Ela não pensa na sua missão cristã como esposa e para Deus, isso é trabalho e não um sacrifício de louvor que O agrada.

O filho cristão que não obedece aos seus pais, que não entende os princípios da autoridade espiritual, que não os honra de acordo com a Palavra de Deus, com um comportamento adequado e elevado, é egoísta, pensa só em si e não nos outros. Isso é trabalho e não um sacrifício de louvor que agrada a Deus.

Os namorados cristãos, que namoram fora da dignidade cristã, que só pensam em defraudar um ao outro, mas nunca pensam em construir um relacionamento para a vida a dois, são egoístas, pensam somente em si mesmos, no momento de prazer da carne e não na missão cristã do namoro cristão. Isso é trabalho e não um sacrifício que traz louvor a Deus.

O trabalhador cristão, que sai para trabalhar, mas já sai mal humorado, pensando só no dia cheio que terá pela frente, não entende a sua missão cristã em meio aos seus afazeres profissionais. Ele odeia o seu patrão, não é verdadeiro com ele, que não entende os princípios de servir e da autoridade espiritual, é egoísta, pensa só em si e não nos outros. Isso é trabalho e não um sacrifício de louvor que agrada a Deus.

O patrão cristão, que grita com seus empregados na frente dos outros, os insulta, não os ouve com atenção, não se importa com a saúde e bem estar familiar deles, que é bruto, não conhece os princípios da autoridade espiritual e nem de servir. Esse patrão é egoísta, pensa só em si e não nos outros. Isso é trabalho e não um sacrifício de louvor que agrada a Deus.

Oferecer sacrifícios de louvor a Deus é quando, por meio de Cristo, você obedece ao fluxo da Vida do Alto, com o cuidado de trazer a presença e a Verdade de Deus para todas as áreas da sua vida. O sacrifício espiritual tem a ver com a atitude de doar-se primeiramente a Deus e a partir Dele, aos outros. Já o trabalho tem a ver só com a atitude de receber, querer, ganhar, barganhar e até trapacear.

2.e. Que eu não obstrua o fluxo da vida de Cristo em meu interior.

O verso 15 fala de “oferecer sempre”, ou seja, “continuamente”. Assim como a árvore que não reprime o fluxo da seiva, todo cristão verdadeiro não deveria impedir o mover do Espírito Santo e o poder transformador da Palavra de Deus em seu interior, que resulta em palavras e ações corretas diante de Deus.

Você sabe o que Jesus disse sobre o galho que não produz fruto? Basta ler João 15:1-8, onde Jesus fala de podar o galho para dar mais fruto e cortar aquele que não o produz. Podar e cortar são duas ações bem diferentes, pois a poda visa dar mais força ao galho, a fim de que este dê mais fruto e o corte é para lançar fora o galho infrutífero para ser queimado. Jesus declarou:  Meu Pai é glorificado pelo fato de vocês darem muito fruto; e assim serão meus discípulos. (Jo.15:8 NVI)

Jesus é o tronco que traz o alimento para nós, “os galhos”. Nós, cristãos, nos alimentamos com o alimento que Ele nos oferece e assim, produzimos os frutos que agradam a Deus – palavras e ações corretas. Esta é a razão de Hebreus 13:15 dizer que é por meio de Jesus, que podemos oferecer continuamente sacrifícios de louvor a Deus, que é fruto de lábios que confessam o Seu Nome. Pelo nosso sacrifício em obedecê-Lo, nós O vemos agindo em nossas vidas e isso resulta em palavras de celebração.

2.f. Que Deus use a minha vida, para gerar mais filhos de Deus nesta Terra.

Você já viu um abacateiro produzir manga? Claro que não! Se um cristão se alimenta da Palavra de Deus e com o poder do Espírito Santo, o que ele irá produzir? A vida de Cristo!
Assim como o fruto é o resultado final de todo o sacrifício de uma árvore, a fim de produzir o fruto e propagar a sua espécie pela semente que há dentro dele, do mesmo modo, nós temos que aceitar o fato de sermos o produto final de Deus em Cristo, os frutos do sacrifício de Jesus.

A vida de Cristo ressuscitado gera em nós a vida e a missão cristã, pois todo cristão verdadeiro é o fruto de todo trabalho maravilhoso do Reino de Deus em seu interior! Se o Espírito de Deus usar a minha vida para convencer você acerca dessas verdades, sua vida não será mais a mesma e você será mais um cristão verdadeiro sobre a face da Terra. Cada animal gera conforme a sua espécie e assim é no reino vegetal também. O mundo sem Deus gera o
homem mundano e terreno, cheio de “interesses pessoais” e o cristão verdadeiro gera cristãos verdadeiros, cujo interesse maior é agradar a Deus!

2.g. Que eu tome cuidado com os exageros.

Eu quero dizer ainda que oferecer louvores a Deus continuamente, não é viver cantando hinos o tempo todo, ou dizer: “Louvado seja Deus!” em todo o momento, mas que devemos estar “entrançados” com Cristo o tempo todo. Devemos buscar uma vida de comunhão com Jesus, para, por meio Dele, executarmos nossos afazeres para a alegria de Deus! Devemos exaltar a Deus por ações elevadas, palavras e hinos também, é claro!

Quando falamos em hinos, por que devemos achar que fazendo hinos ou promovendo reuniões de louvor ao estilo desse mundo, iremos atrair pessoas? Isso é pura bobagem! Elas gostarão do ritmo, da banda, do som, mas serão apenas essas coisas que as motivarão a cantar. Além do mais, no embalo do som, dança-se nas igrejas como se dança nas baladas noturnas e isso não tem nada a ver com a dança espiritual. Isso é entretenimento e não sacrifício da alma.

Hoje em dia, nas igrejas, existe muita preocupação com o tipo de aparelhagem de som, não que isso deva ser relegado, mas, e a devoção? E o coração? Se ele está ligado apenas nessas coisas e nos belos acordes, está longe de Cristo. Não devemos nos esquecer que a prioridade número um de nossas vidas é cultivar um coração temente a Deus.

No entanto, muitos tocam apenas se deliciando com a melodia e seus improvisos como harmonias e outros cantam, mas com um coração longe de Deus, pois gostam de cantar canções que abrandem ou amoleçam seus corações cheios de mágoas e raivas. Não queremos cantar hinos que contrariem o nosso estado de alma, mas queremos canções que nos levem a chorarmos e chorarmos nossos pesadelos ou sonhos frustrados. Isso se parece com terapia ou masoquismo e não com um sacrifício da alma para Deus.

2.h. Com a ajuda de Cristo, que eu sempre louve a Deus pelo Seu trabalho em minha vida, como pelo Seu caráter e pelas Suas promessas!

Com a ajuda de Cristo:
• Louvemos a Deus, porque Ele é Grande e é o Todo-Poderoso, em cujas mãos nossas vidas estão.
• Louvemos a Deus, porque Ele sabe o que é melhor para nós e porque nos tirou do mundo e mudou na nossa espécie – de mundanos para seguidores de Cristo.
• Louvemos a Deus, porque Ele nos deu sentido de existir, por meio da missão que Dele recebemos em Cristo.
• Louvemos a Deus, porque Ele apagou o nosso passado tenebroso, cheio de pecados terríveis!
• Louvemos a Deus, porque em Cristo, nos deu uma nova vida e a felicidade de termos comunhão com Ele!

Nós devemos louvar a Deus, com a ajuda de Cristo, porque Nele, descobrimos que este mundo não tem nada a nos oferecer, para produzir a paz verdadeira em nossos corações. Tudo o que ele oferece é trabalho, morte, tristezas e aflições o tempo todo. Graças a Deus, por nos ter dado o entendimento de que:  (...) não temos aqui nenhuma cidade permanente, mas buscamos a que há de vir. (Hb.13:14 NVI) Essas palavras querem dizer o seguinte: “Porque este mundo não é nossa pátria; nós estamos aguardando a nossa pátria eterna no céu.” (Bíblia Viva)

Vivamos de um modo que glorifique a Deus, em ações, palavras e hinos, é claro! Este é um sacrifício que agrada a Deus!  Que as palavras da minha boca e a meditação do meu coração sejam agradáveis a Ti, Senhor, minha Rocha e meu Resgatador! (Sl.19:14 NVI)

Conclusão:

• Que eu cultive um coração temente a Deus.
• Que um coração temente a Deus é a minha prioridade número um.
• Que eu observe com muito zelo, o estado do meu coração.
• Que eu tenha sempre o desejo de ter comunhão com Deus, para aprender os Seus caminhos.
• Que eu esteja enraizado em Cristo, pois só ele é o meu alimento!
• Que eu entenda a diferença entre trabalhar religiosamente e sacrifícios de louvor para Deus.
• Que eu não obstrua o fluxo da vida de Cristo em meu interior.
• Que Deus use a minha vida, para gerar mais filhos de Deus nesta Terra.
• Que eu tome cuidado com os exageros.
• Com a ajuda de Cristo, que eu sempre louve a Deus pelo Seu trabalho em minha vida, como pelo Seu caráter e pelas Suas promessas!

Colaborador: REVERENDO, Pr. WALTER DE LIMA FILHO